08/01/2017

“Meu medo é que Flávio Dino vire um Sarney”, afirma presidente nacional do PSOL

Claro que os comunistas do PCdoB maranhense não iram concordar com a avaliação do presidente do PSOL, mas a leitura de Luiz Araújo é factual e reflete exatamente o significado dos tais 46 prefeitos eleitos pelo comunismo do Brasil aqui por estas terras.



O presidente nacional do PSOL, Luiz Araújo, fez algumas observações no mínimo curiosas ao avaliar o governo Flávio Dino em entrevista concedida ao site do jornal Folha de São Paulo, no último dia 29 de outubro,

Ao comentar o desempenho das esquerdas nestas eleições municipais, em particular o do PSOL, Luiz Araújo disse que não há governo de esquerda no Maranhão e que teme por Flávio Dino montar a sua própria oligarquia tal como fez o ex-presidente José Sarney ao chegar ao poder no estado em 1966.

Eu não acho que seja um projeto de esquerda lá [Maranhão]. Tem um filme do Glauber Rocha, ‘Maranhão 66’. Foi o primeiro filme de propaganda eleitoral do Brasil, sobre a vitória do José Sarney, em 1966. Nesse filme, tem um discurso do Sarney mostrando essa desigualdade, essa pobreza que tinha no Maranhão e que ele ia acabar com as oligarquias. O que ele fez depois? Criou uma oligarquia em torno dele, cooptando a oligarquia a partir do aparato do governo. O meu medo é que o Dino esteja fazendo um caminho parecido. É um risco”, avaliou Araújo.

Ainda que considere Flávio Dino “muitas vezes melhor do que o Sarney”, o dirigente máximo do PSOL assegura que o governador comunista está ficando “muito pragmático” e minimizou o crescimento eleitoral do PCdoB tão badalado pelos camaradas maranhenses.

Na opinião de Luiz Araújo, os prefeitos eleitos pelo PCdoB não são comunistas nem aqui e na China, pois teriam sido eleitos tão somente  pela relação com o governo. #Fato

“Eu não vou comparar porque seria uma grosseria. Ele é muitas vezes melhor do que o Sarney. Ele tem uma trajetória, mesmo que, nos últimos tempos, tenha ficado muito pragmático. Que 46 prefeitos são esses do PC do B no Estado? São satélites do campo do governo, não foram 46 comunistas eleitos. Nem na China nem lá [Maranhão]. Foram 46 prefeitos conquistados pela relação com o governo num Estado muito dependente, porque as prefeituras precisam estar do lado do governador pra ter qualquer coisa extra pra fazer, que não seja o FPM (Fundo de Participação dos Municípios). Não acho que foi tão relevante como ele apresenta”, assegurou o psolista.

Claro que os comunistas do PCdoB maranhense não iram concordar com a avaliação do presidente do PSOL, mas a leitura de Luiz Araújo é factual e reflete exatamente o significado dos tais 46 prefeitos eleitos pelo comunismo do Brasil aqui por estas terras. Aliás, fato que o Blog do Robert Lobato já havia comentado nos posts “PCdoB sobrevaloriza vitória no MA” (aqui) e “Prefeitos eleitos pelo PCdoB já pensam em deixar o partido” (aqui).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques