Rússia nega que tenha informações comprometedoras sobre Trump



O Kremlin negou nesta quarta-feira que tenha informações comprometedoras sobre o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, ou sobre sua rival, a democrata Hillary Clinton, classificando as alegações de fontes da Inteligência americana como “falsas” e um “absurdo total”.

Em uma teleconferência com jornalistas, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que o caso era uma farsa criada para prejudicar ainda mais as relações entre Estados Unidos e Rússia.

— É uma tentativa de prejudicar as nossas relações bilaterais — disse Peskov, que também descartou as alegações de que ele próprio estaria fortemente envolvido na condução de uma campanha russa para minar a candidata presidencial derrotada Hillary Clinton. — Você tem que reagir a isso com um certo humor, mas há também um lado triste para isso. A histeria está sendo movida para manter uma caça às bruxas política.

Vários jornais americanos informaram na terça-feira a existência de um documento de 35 páginas em que se detalham informações apresentadas como comprometedores sobre Trump, entre elas a existência de um vídeo de caráter sexual filmado clandestinamente pelos serviços russos durante uma visita a Moscou em 2013.

O documento, escrito por um ex-agente britânico, considerado confiável pelos serviços dos Estados Unidos, alude também a supostas trocas de informações durante vários anos entre Trump e o Kremlin.

No Twitter, Trump também rejeitou os relatos.
“Notícia falsa — política total de caça às bruxas”, postou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques