“Minha Mãe é Uma Peça 2” supera Moisés e registra maior bilheteria do cinema nacional


A alardeada rentabilidade da bilheteria de “Os Dez Mandamentos” – marcada por controversas salas de cinema vazias – já é coisa do passado, para a tristeza dos responsáveis pelo filme, que ainda buscam extrair as últimas gostas do sucesso de Moisés (Guilherme Winter).

O mais novo filme de Paulo Gustavo, “Minha Mãe é Uma Peça 2” bateu o compilado da novela da Record, tornando-se a maior renda da história do cinema nacional.

Segundo informações do site “Filme B”, o longa-metragem estrelado por Dona Hermínia (Paulo) já acumula uma renda total de R$ 117,3 milhões, versus R$ 116,4 milhões de “Os Dez Mandamentos”. Entretanto, a comédia ainda não superou o filme bíblico em ingressos vendidos; a primeira levou 8,8 milhões ao cinema, enquanto o segundo arrebanhou 11,26 milhões (com ingressos, convém salientar, até R$ 6,00 mais baratos do que o praticado pelo mercado).

Apesar desta “derrota”, “Minha Mãe é Uma Peça 2” já é o terceiro maior público do cinema nacional desde a retomada, com “Carlota Joaquina – Princesa do Brasil” (1995). Está atrás apenas de “Os Dez Mandamentos” e de “Tropa de Elite 2” (11,20 milhões).

Em cartaz há oito semanas, Paulo Gustavo e sua dona Hermínia ainda podem ser vistos no cinema; o filme permanece em cartaz em 448 salas – ao menos até esta quinta-feira (9), quando estreia o importado “Cinquenta Tons Mais Escuros”, promessa de bilheteria astronômica.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques