06/06/2017

Padre é condenado à pena máxima por abusar de adolescente brasiliense


O padre Fabiano Santos Gonzaga, de 29 anos, foi condenado nesta segunda-feira (5/6) a 15 anos de reclusão em regime fechado. O religioso, que pregava na Paróquia de Frutal (MG), foi preso em flagrante em junho do ano passado por abusar sexualmente de um adolescente brasiliense de 14 anos, dentro da sauna em um clube de Caldas Novas (GO). A idade mental do menino, segundo os advogados da família, é de sete a nove anos e, por isso, ele não teve como se defender.

Ao Metrópoles, o advogado Ueren Domingues de Sousa, que foi assistente da acusação no caso, afirmou que o padre se contradisse no momento em que foi interrogado no tribunal. “O réu sempre negou o fato. Quando perguntado sobre a sua promiscuidade, ele se calava ou negava. Chegou a dizer que não era homossexual, mas depois assumiu”, contou.

De acordo com Sousa, alguns elementos que compõem o processo apontaram a possibilidade de o réu ter conversado com outro garoto menor de idade. “Ele tentava marcar encontro, mas o menino dizia que teria que ser na ausência da mãe”, lembrou. O caso, no entanto, não teve materialidade o suficiente para a instauração de um inquérito.

O caso foi investigado pela delegada Sabrina Leles, da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Caldas Novas. As fotos e as conversas encontradas pela delegada no celular do padre ajudaram na conclusão do inquérito. Sabrina disse que elas provam “um comportamento duvidoso” e “imoralidade em seus atos”. As imagens contrariam as informações dadas por ele sobre ser celibatário e heterossexual.







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques