23/08/2017

ARTIGO: Minha ideologia é o Maranhão

por José Reinaldo Tavares




Candidatei-me a deputado federal com um pensamento só: colocar como prioridade do meu trabalho a iniciativa de trazer para o Maranhão projetos estruturantes tão fortes que pudessem servir de alavancas poderosas para nosso desenvolvimento econômico e social.

Para que todos possam entender, na Câmara nós somos 513 deputados federais, não é fácil para ninguém. A bancada do Maranhão é composta por 18 deputados federais, somos apenas 3,5 por cento do total de parlamentares dali. Isto é algo que, sem dúvidas, aumenta a nossa dificuldade, somos poucos.

Ali quem pesa são as maiorias e, para conseguir fazer o que me dispus, contei com o grande número de amigos que tenho dentro e fora do parlamento e do governo federal. Além disso, contei também com meu conhecimento de como funciona o poder em Brasília, conhecimento esse conseguido quando fui ministro e governador e durante as lutas que travei.

Muita gente é movida por ideologias – esquerda e direita – e eu tenho a convicção de que o povo não se interessa por nenhuma ideologia, mas sim por aquilo que lhe permite alcançar um nível de vida melhor. E estão certos. Muitos criticam alguns votos meus na Câmara, essas críticas são basicamente ideológicas, mas eu só poderia conseguir fazer o que já fiz não me deixando dominar por nenhuma ideologia e sim pelo interesse nacional.

Se eu virasse as costas para o governo federal, votando sistematicamente contra tudo, como muitos fizeram, eu não conseguiria fazer nada em benefício do povo maranhense. Mas, repito, só votei naquilo que acreditei ser melhor para o país.

Contudo, a reforma da previdência é um caso diferente.

Sei que é absolutamente necessária, do contrário, dentro de pouco tempo não haverá como pagar os aposentados, como já começa a acontecer em alguns estados. Mas acredito que nesse caso é melhor que ela seja discutida pelos candidatos com os eleitores na
próxima campanha, pois isso permitirá ao eleito – ao escolhido dessa maneira – aprovar um assunto polêmico, mas amplamente discutido com os eleitores.

Isto aconteceu recentemente na França, onde o novo presidente, Emmanuel Macron, debateu sobre o que vai fazer e venceu a disputa com o eleitor conhecendo suas propostas. Portanto, adquiriu toda a autoridade e legitimidade para aprová-la.

A atual bancada federal do Maranhão trabalha com uma visão que antes não existia entre nós. Une-se pelos grandes projetos de interesse do estado e da população. E isso já permitiu grandes vitórias, como aconteceu na semana passada em Alcântara. Vamos aos fatos: Sem grandes fanfarras, a última terça-feira passou a fazer parte da história do nosso estado.

O palco escolhido foi o Centro de Lançamento de Alcântara e os protagonistas foram o próprio CLA, o ITA e a Universidade Federal do Maranhão. Nessa reunião, histórica, assinamos (eu como testemunha) o acordo que define a cooperação entre as três instituições para o
funcionamento do curso de Engenharia Aeroespacial, o único no Brasil com especialização em centros de lançamento. Assinaram o documento o Reitor do ITA, Anderson Correa; a reitora da UFMA, Nair Portela; o Comandante do CLA, Coronel Luciano; o Diretor do
Departamento de Ciência e Tecnologia Aeronáutica, Brigadeiro Amaral.

Por que esse documento é histórico? Alcântara pode repetir o que aconteceu com São José dos Campos e se tornar um polo tecnológico e industrial de importância mundial. Sim, porque Alcântara sediará o Centro Espacial Brasileiro, que será um dos mais importantes
do mundo, devido a sua localização privilegiada para essa atividade.

Eu falei isso para o presidente Temer, pois um dos assuntos pendentes é a solução dos problemas com as comunidades quilombolas. Então esse assunto já tem solução proposta pela Advocacia Geral da União – AGU, que dirigiu um grupo de trabalho para esse fim. O documento a ser trabalhado estava na Casa Civil desde 2016 sem andamento. Com o meu pedido, o documento saiu das gavetas e começa a ser discutido.

Além disso, há uma outra frente de trabalho que diz respeito ao acordo internacional de salvaguardas tecnológicas. Este é atualmente conduzido pelo Ministério de Relações Exteriores.

O CLA, para se transformar em Centro Espacial, precisa de mais 8.300 hectares já previstos no Decreto de Utilidade Pública da União, assinado na década de 80. Contudo, para ser efetivo, precisa resolver a situação de algumas comunidades quilombolas ainda presentes ali.
Isso é muito importante para permitir a criação de mais três sítios de lançamento na área e passar a comercializar esses espaços para outros países e empresas. Esses recursos irão cobrir as despesas do Centro e ajudar a financiar o programa espacial brasileiro, hoje tão carente de recursos.

A presença de mão de obra altamente especializada em Alcântara permitirá trazer grande parte dos laboratórios e dos centros de pesquisa do setor para cá. Na esteira desses empreendimentos, certamente virá um parque industrial especializado que mudará Alcântara, mudará
o Maranhão e ajudará o desenvolvimento brasileiro em um setor que movimenta 330 bilhões de dólares por ano.

Por sua importância, a assinatura do termo de cooperação entre ITA, CLA e UFMA representa um marco para o desenvolvimento do nosso estado.

O curso se iniciará no ano que vem e já convidei o governador Flávio Dino para proferir a aula inaugural, considerando sua inestimável contribuição para esse desenlace.

As demais aulas serão ministradas em São Luís, Alcântara e em São José dos Campos (nas dependências do ITA) por pessoal altamente
especializado tanto do CLA como da UFMA e do próprio ITA. Esperamos que o curso seja um dos melhores do mundo!

Pois bem, esse é resultado do meu trabalho e me orgulho dele. E só poderia fazer isso com o apoio do governo federal e do governo estadual, o que nunca me faltou.

E não foi só isso: Com essa forma de proceder, consigo ajudar os prefeitos a atender comunidades, a trazer obras e recursos para suas cidades e a contribuir diariamente para a melhoria de vida dos maranhenses.

Citarei um exemplo: a Avenida Piauí, em Timon, sonho de sua população, que vai mudar a cidade, foi um trabalho que levou mais de um ano, mas os recursos estão empenhados e as obras começarão em breve.

Para encerrar, quero cumprimentar o governador Flávio Dino pelo excelente trabalho que vem fazendo. Ele atende as expectativas do povo do Maranhão e este certamente quer vê-lo mais tempo no governo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques