29/08/2017

Greco apreende coquetéis molotovs que seriam usados em novos ataques




A organização criminosa suspeita de incêndios a veículos em Teresina planejava novos ataques nesta semana. A informação foi repassada pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) na segunda fase da operação Coerção, deflagrada nesta segunda (28). Durante o cumprimento de mandados, os policiais apreenderam seis coquetéis molotov que seriam utilizados em novas ações incendiárias.

“Já estava tudo preparado. Os suspeitos aguardavam apenas uma nova ordem vinda do presídio. Eles foram os executores da queima de ônibus. Agora estão sendo ouvidos para que possamos individualizar a conduta de cada um”, disse o delegado Charles Holanda.

Ao todo foram apreendidos seis coquetéis molotov, que são uma mistura de querosene e gasolina. De acordo com o Greco, os artefatos são potentes. Apenas um tem poder de destruição de um ônibus.

O delegado acrescenta que para executar o serviço, cada suspeito teria recebido de R$ 100 a R$ 200. “Eles são parceiros do mandante. Esse dinheiro seria apenas um incentivo”, declarou Holanda.

Os suspeitos devem responder por associação criminosa e posse de artefato incendiário. O detento apontado como o mandante foi transferido da Casa de Custódia, mas ainda não foi ouvido. Além dele, o Greco investiga a participação de outros detentos que também teriam ordenado os incêndios.

Ao grupo criminoso é atribuído a destruição de cinco veículos, incluindo ônibus.


Delegado Charles Holanda

Mais cinco suspeitos de participação em incêndios criminosos a veículos na Capital foram levados para a sede do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), durante a segunda fase da operação Coerção, deflagrada na manhã desta segunda-feira (28).

A investigação da Polícia Civil do Piauí aponta que a ordem para os ataques partiu de detentos da Casa de Custódia de Teresina e teria sido uma reação a medidas disciplinares impostas no presídio. Na semana passada, a esposa de um dos detentos foi presa. A operação cumpre mandados de busca e apreensão expedido pelo juiz Luiz de Moura Correa, da Central de Inquéritos Policiais.

“Apreendemos artefatos que estava sendo armazenados, provavelmente, para nova queima de ônibus. Cinco pessoas foram conduzidas e tudo indica que serão autuadas em flagrante por razão do artefato. Vamos continuar investigando e se houver novos envolvidos será aplicada a lei”, disse Charles Holanda, um dos delegados que investiga os incêndios.

Graciane Sousa


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques