23/08/2017

Informação de que menino Kauan teve corpo esquartejado aumenta dor da família em MS

Site da Polícia Civil informava, até o fim da manhã desta quarta-feira (23), que Kauan foi estuprado, morto e depois teve o corpo esquartejado. Posteriormente, última informação foi retirada da página da instituição.


           

A polícia deve apresentar, na sexta-feira (25), o resultado das perícias que podem apontar o desfecho das investigações do caso do menino Kauan, desaparecido há quase três meses em Campo Grande. Porém, a informação divulgada no site da Polícia Civil, nesta quarta-feira (23), de que o garoto de 9 anos teve o corpo esquartejado aumenta mais dor da família.

“Um menino que vivia aqui brincando, um menino alegre, pra depois você receber uma notícia que aconteceu isso com ele, eu não consigo acreditar mais”, disse a mãe Janete dos Santos Andrade.

A informação de que Kauan foi estuprado, morto e depois teve o corpo esquartejado estava no site da Polícia Civil até o fim da manhã desta quarta-feira, mas foi retirada. Os delegados que conduzem a investigação ainda não concluíram os trabalhos porque aguardam o resultado dos exames feitos em materiais colhidos na casa do suspeito.

“Esses laudos chegam até quinta-feira [24]. O interesse da Polícia Civil é que este crime seja esclarecido e seja realmente apontado o verdadeiro culpado ou culpados dessa morte tão cruel. Tudo o que foi apurado até agora significa que isso ocorreu [morte]. Já que a família perdeu esse ente querido, a gente pelo menos quer entregar à família uma resposta que a faça ter pelo menos um consolo”, afirmou a delegada Sidneia Tobias.

Segundo a Polícia Civil, o menino teria sido levado à casa do suspeito, acompanhado por um adolescente de 14 anos, e lá foi violentado e morto. O principal suspeito, um professor de 38 anos, está no Instituto Penal de Campo Grande, em uma ala onde só ficam presos que cometeram crimes sexuais.

A história de Kauan lembra muito o caso do menino Dudu, há dez anos. A criança foi torturada e teve o corpo esquartejado. Restos mortais só foram encontrados anos depois e os acusados foram condenados.

Já são quase três meses sem notícias do Kauan, dias que tem sido longos pra Janete. “Pode estar meus outros filhos aqui, mas ele está faltando. É na hora de dormir, na hora de almoçar, de jantar, ele está faltando.”




Kauan está desaparecido há quase três meses (Foto: Reprodução/TV Morena)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques