21 de nov de 2017

Suicídio de adolescente após suposto vazamento de fotos íntimas choca internautas

A morte de uma adolescente de 15 anos reacendeu, nos últimos dias, discussões relacionadas ao suicídio. A garota temia que fotos íntimas dela fossem vazadas por um rapaz com quem ela se relacionou e acabou se matando. O corpo dela foi localizado no dia 7 de novembro e o assunto ganhou visibilidade depois que o Buzzfedd publicou uma matéria a respeito na última sexta (17).
A mãe da jovem Karina Saifer Oliveira foi quem a encontrou enforcada. O caso ocorreu na cidade de Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul. A mulher contou que a filha não dava sinais de que passava por problemas. Já o pai explicou ter tido uma conversa com a adolescente, que revelou ter se sentido “vulgar” por causa das fotos – ainda não há a confirmação de que as imagens realmente vazaram. Além disso, ainda lidava com colegas de escola que a perseguiam por causa do cabelo crespo, que era constantemente alisado para evitar ser o centro das atenções.
Como se não bastasse perder a adolescente de forma precoce, familiares dela ainda tiveram que enfrentar o vazamento de fotos do corpo da jovem. Uma das irmãs de Karina recebeu pelo WhatsApp uma imagem em que a garota pode ser vista enforcada. Somente o perito e a polícia tiveram acesso ao local. Agora, as autoridades tentam descobrir quem foi o responsável.
Reprodução/Facebook
Nas redes sociais, muita gente mostrou surpresa diante do caso contado pelo Buzzfeed. Alguns, no entanto, atribuem à garota a responsabilidade pelo suposto vazamento da foto e pelo autoextermínio cometido por ela. Vale lembrar que divulgar conteúdo íntimo sem autorização é crime no Brasil. Além disso, o suicídio é considerado um problema de saúde pública pela Organização Mundial de Saúde. Entre 2011 e 2015 foram 55.649 óbitos por suicídio no país.
Ao site Bhaz, o psicólogo e psicanalista mineiro Eduardo Lucas Andrade explicou que vários fatores podem levar uma pessoa a tirar a própria vida. No entanto, ele diz que as causas de suicídios estão relacionadas a um desejo de sanar dores existenciais. Na prática, ninguém quer realmente morrer, mas sim colocar fim a algo que provoca dor.
“A pessoa que se mata não sente um desejo de morte em si, mas busca sanar dores existências por meio de um ato auto-agressivo visto como a única saída”, pondera. “Em muitos casos, essas tendências a tirar a própria vida ganham ares de novidade e descoberta pra novos rumos de vida quando a pessoa passa por uma escuta clínica psicológica. Pessoas de qualquer idade estão sujeitas, os adolescentes em seus embaraços, as crianças nos chamados acidentes e nos adultos com suas perdas, a destacar a perda de esperança”, explica.

Centro de Valorização da Vida

Em atividade há 55 anos o Centro de Valorização da Vida (CVV) é uma instituição que realiza, de forma voluntária e gratuita, o atendimento às pessoas que necessitam de apoio emocional. Além disso, a entidade oferece um serviço de prevenção ao suicídio para quem precisa conversar. E, o mais importante: tudo isso acontece de forma gratuita e sigilosa. 
O atendimento no CVV pode ser feito de diversas maneiras: chat, telefone, Skype, e-mail ou até mesmo presencialmente, em um dos postos da instituição que atendem em horário comercial. Pelo telefone, é só ligar para o número 141.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Geral

Destaques